TV Brasil inicia transmissão para 49 países africanos

Com a promessa de levar a "cara do Brasil" ao exterior, a TV Brasil iniciou hoje as transmissões de seu canal em 49 países africanos, entre eles nações de língua portuguesa, como Angola, Moçambique e Cabo Verde. Acordo firmado com uma operadora de TV por assinatura do continente vai permitir que a TV Brasil Internacional esteja no pacote básico de assinantes, sem custos extras. O governo pretende levar o canal "em breve" a Estados Unidos, Japão, Europa e América Latina.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

24 Maio 2010 | 20h12

"Queremos provar que é possível fazer uma TV pública de qualidade, republicana, que não seja nem chapa branca, mas que também não seja oposição a priori", discursou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em solenidade no Palácio do Itamaraty. "Que tenha discernimento de fazer análise política correta, de contar os fatos como eles são."

O presidente negou que o canal tenha objetivos de alavancar a sua imagem no exterior ou servir de vitrine para a administração petista. "E depois aquele negócio `mas é uma televisão para falar bem do Lula'', eu tô num momento da minha vida que, quanto mais mal de mim eles falam, melhor é pra mim. Porque, quando se mente demais, as pessoas descobrem que é mentira. Queria uma televisão para falar bem desse País."

A TV Brasil Internacional terá programação em português, focada em conteúdos informativos e culturais, com espaço para a produção independente. Durante a cerimônia, o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Franklin Martins, comentou os baixos índices de audiência da TV Brasil no País.

"Qualquer pessoa que entende de televisão sabe que audiência não se faz da noite para o dia. Audiência se constrói e está sendo construída." Segundo Martins, existe um movimento nas tevês públicas para compreensão do caráter e da necessidade dos canais estatais. "A turma do contra está se dando mal", comentou o ministro, rebatendo críticas.

Mais conteúdo sobre:
TV Brasil transmissões África audiência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.