Tuma não abre mão de pré-candidatura à Prefeitura

O senador do PFL de São Paulo, Romeu Tuma, garantiu hoje à Agência Estado que não pretende abrir mão de sua pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo, mesmo depois de ter sido preterido pela direção do partido. Na sexta-feira, a direção do PFL apresentou o nome do deputado federal José Aristodemo Pinotti (SP) como candidato da legenda no pleito municipal deste ano. "Não retirei minha pré-candidatura e ela ainda está em pé. Eles (a direção do partido) é que retiraram", afirmou. E lamentou: "Penso que eu merecia mais respeito nesse episódio."O senador pefelista garantiu que não pretende deixar a legenda. "Muito ao contrário, vou ficar no PFL, que é um partido que vale pela consistência, e batalhar para que a unidade seja restabelecida." Tuma disse que tomou conhecimento do anúncio do nome do deputado Pinotti apenas na véspera, quinta-feira à tarde, quando participava, ao lado do governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), da cerimônia de abertura dos Jogos Paraolímpicos do Brasil. "Recebi um telefonema do deputado estadual Rodrigo Garcia, informando que eu deveria comparecer no escritório do partido, no dia seguinte, para ratificar o nome de Pinotti. Decidi não comparecer porque não poderia jogar meu amor próprio no lixo."O vice-governador do Estado, o pefelista Cláudio Lembo, que é muito amigo de Tuma, ainda tentou convencer o senador a comparecer ao anúncio do nome de Pinotti. "Disse ao Lembo que não poderia comparecer, pois não havia sido consultado sobre o assunto e a decisão foi uma intervenção monocrática. E apesar do respeito que tenho pelo deputado Pinotti, poderia estragar a festa", assegurou. O senador lembra que lançou seu nome à sucessão municipal em São Paulo quando ninguém no partido postulava o cargo. Romeu Tuma disse que espera ser procurado pela direção do seu partido para discutir a questão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.