Tuma Júnior é exonerado do cargo

Secretário não resistiu às denúncias de envolvimento com máfia chinesa

Vannildo Mendes, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2010 | 11h54

Romeu Tuma Júnior não é mais o Secretário Nacional de Justiça. O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto,encaminhou nesta segunda-feira, 14, à Presidência da República o ato de exoneração do secretário. Tuma Junior, segundo nota do Ministério "responde a três procedimentos apuratórios" junto à Comissão de Ética da Presidência da República, junto ao próprio Ministério da Justiça e à Polícia Federal. Barreto entende que estando fora do cargo que atualmente ocupa, "Tuma Junior poderá melhor promover sua defesa". O ministro destaca na nota os "relevantes trabalhos prestados por Tuma Júnior enquanto esteve à frente da Secretaria Nacional de Justiça".

 

Veja também:

O caso Tuma Júnior nas páginas do 'Estado' e nas gravações da PF

 

O ex-secretário estava desgastado em decorrência de uma série de denúncias publicadas em maio no Estado, dando conta do suposto envolvimento dele com a máfia do contrabando de produtos falsificados, comandada pelo chinês conhecido como Paulo Li, preso deste setembro passado pela Polícia Federal. Por recomendação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, assessores do governo insistiram para que Tuma Júnior pedisse demissão, mas ele resistiu porque considerava que esse gesto significaria confissão de culpa. Interinamente continuará respondendo pela Secretaria a advogada Izaura Miranda.

Tudo o que sabemos sobre:
Tuma JuniorPFJustica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.