Tuma estranha atitude de subprocurador

O senador Romeu Tuma (PFL-SP) disse achar estranha a ação do subprocurador José Roberto Santoro que, segundo ele, estaria realizando "um trabalho policial" ao tomar um depoimento do empresário de jogo Carlinhos Cachoeira, de quem queria obter a fita em que aparece o ex-assessor da Presidência da República Waldomiro Diniz pedindo propina. Tuma disse que a informação que recebeu era de que a fita já havia sido periciada e que não havia dúvidas em relação a ela. "Era para tirar a fita e convencer Cachoeira a ser depoente colaborador", observou Tuma. Ele defendeu a apreensão da fita inteira e considerou que o subprocurador teria feito grande pressão psicológica sobre Cachoeira, inclusive usando o nome do procurador-geral da República, Cláudio Fonteles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.