Tuma diz que poderá ser aberto processo contra Jader

O senador Romeu Tuma (PFL-SP), integrante da comissão especial do Conselho de Ética que investiga o senador Jader Barbalho (PMDB-PA), disse no início desta tarde que, em tese, há indícios para pedir a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar do presidente licenciado do Senado. "Ele não disse à Nação que é tudo falso, que não deve nada a ninguém?", indagou o senador Tuma, referindo-se à acusação de que o presidente licenciado teria recebido dinheiro do Banco do Estado do Pará (Banpará).Tuma deixou claro que o resultado das análises do relatório do Banco Central sobre as irregularidades no Banpará poderá servir como prova para fundamentar o pedido de abertura de processo, caso comprove que o senador fora um dos beneficiários de recursos como a imprensa tem divulgado.A comissão do Conselho de Ética vai buscar na documentação do Banco Central provas que apontem contradições de Jader com referência ao Banpará. Hoje, o senador Romeu Tuma vai procurar o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, para pedir cópia de um novo anexo enviado pelo BC à procuradoria dando conta de que Jader e seus familiares teriam sido beneficiados com recursos de R$ 12,5 milhões, no período de 1984 a 1988, à época em que o senador era governador do Pará.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.