Tuma diz que há "indícios veementes" contra Jader

Segundo o senador Romeu Tuma (PFL-SP), há "indícios veementes", suficientes para justificar a abertura de um pedido de quebra de decoro parlamentar contra o presidente licenciado do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA). "Todos os indícios são claros na admissibilidade da abertura de um processo", afirmou Tuma, depois de fazer à executiva nacional do PFL um relato sobre os trabalhos da comissão de três senadores criada no âmbito do Conselho de Etica para investigar Barbalho. Tuma disse, ainda, que o relatório a ser entregue ao Conselho de Ética já deve conter um pedido de abertura de processo contra Jader, ou seja, não vai propor o arquivamento do caso. No entanto, caberá aos integrantes do Conselho decidirem se aprofundam ou não as investigações ou remetem o relatório diretamente à Mesa do Senado. Tuma informou que já pediu uma análise imediata dos documentos que Barbalho apresentou, ontem, em sua defesa. "Ele - Jader - é que tem que comprovar se as provas que já temos não valem nada", afirmou Tuma.Apoio do PFLO PFL manifestou apoio ao senador Romeu Tuma para agir com isenção nas investigações do Conselho de Ética sobre o suposto envolvimento do senador Jáder Barbalho no desvio de recursos do Banpará. Tuma, como coordenador da comissão do Conselho de Ética, fez um relato longo e detalhado das apurações à executiva nacional do PFL que se reuniu esta manhã. Indagado pelo presidente do partido, senador Jorge Bornhausen, e pelo líder na Câmara, Inocêncio Oliveira, sobre o prazo da conclusão das investigações, Tuma deixou claro que dentro de no máximo 15 dias a comissão encerrará suas atividades. Hoje Tuma está formalizando um pedido de prorrogação dos trabalhos da comissão por mais 10 dias. O prazo regimental termina na próxima segunda-feira, mas o senador ouvirá ainda na segunda e terça-feira, em Belém, mais cinco depoimentos. Entre eles, os ex-diretores do Banpará Amilton Guedes e Marcílio Guerreiro e mais três beneficiários que foram identificados no relatório do inspetor do Banco Central. Abrahão Patruni Júnior. Tuma viajará segunda-feira pela manhã para Belém.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.