Tuma descarta afastamento de Sarney

O senador Romeu Tuma (PTB-SP) descartou hoje a necessidade do afastamento do cargo do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), como medida para facilitar as investigações da série de denúncias que atingem o Senado nos últimos meses.

RODRIGO PETRY, Agencia Estado

12 de julho de 2009 | 13h28

A denúncia mais recente foi publicada hoje pelo jornal O Estado de S. Paulo. De acordo com a reportagem, uma empresa de varejo, chamada Sousa Premiere, aparece como prestadora de serviços de um curso de história da arte para a Fundação José Sarney, de São Luís. A sede da empresa é uma casa de praia e o curso foi bancado com dinheiro de um convênio com a Petrobras, no valor de R$ 1,3 milhão, destinado à digitalização do acervo do museu do presidente do Senado.

"Os senadores têm a responsabilidade de apurar as denúncias, não é preciso recorrer à Justiça", alegou Tuma. "Existem regras para apurar as denúncias, mas não existem regras para a apuração antecipada", disse, justificando seu apoio à manutenção de Sarney no cargo. "Aquilo que caracterizar crime, o ordenamento jurídico já impõe que o Ministério Público e a Polícia Federal façam a apuração."

Tudo o que sabemos sobre:
TumaSarneyafastamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.