Tucanos vão avaliar linha de investigação do caso Waldomiro

No encontro que terão na tarde de hoje com o diretor da Polícia Federal, Paulo Lacerda, os líderes do PSDB na Câmara, Custódio de Mattos (MG), e no Senado, Arthur Virgílio (AM), vão pedir ao delegado as perguntas formuladas e não respondidas pelo ex-assessor da Casa Civil da Presidência da República, Waldomiro Diniz, que depôs ontem na Superintendência da PF, nas investigações sobre o pedido de propina em troca de benefícios a um bicheiro e irregularidades na Loterj. "Queremos avaliar a linha de ação da PF e o empenho e seriedade do governo nessa investigação", disse o deputado Aloysio Nunes Ferreira, depois da reunião da Executiva do partido. Para o deputado, a alegação de Waldomiro de só falar em juízo vai adiar o esclarecimento dos fatos por pelo menos por quatro meses. "Tempo suficiente para que sumam provas", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.