Tucanos vão atrás dos votos dos carentes em São Paulo

Os tucanos decidiram intensificar a campanha na cidade, nesta reta final do primeiro turno, nas regiões carentes das zonas leste, sul e norte. Além de concentrar a maior parte dos eleitores que ainda estão indecisos, essas áreas carentes abrigam também tradicionais redutos petistas e malufistas. "Vamos manter o trabalho que já estamos fazendo em toda a cidade e fortalecer as áreas carentes", disse o deputado Walter Feldman (PSDB-SP), um dos coordenadores da campanha tucana.Outro líder tucano e coordenador da campanha de José Serra, o deputado estadual e presidente do PSDB municipal, Edson Aparecido, acredita que a cidade já não está mais dividida em redutos eleitorais. Segundo ele, é comum notar que tradicionais redutos eleitorais do passado já estão perdendo a sua força, como é o caso da zona norte, onde o malufismo predominava. "Por isso, estamos centrando nossa força em vários pontos da cidade", destacou o tucano.Nesta segunda-feira, o candidato José Serra fez campanha de rua e carreata nos bairros do Tucuruvi e Jaçanã, na zona norte. Integrantes do diretório do PSDB local afirmaram que o malufismo já teve muita força nestes bairros, mas que nos últimos anos os tucanos vêm conquistando espaço. José Serra negou que haja qualquer estratégia de concentrar sua campanha nos redutos dos adversários. "Não há um foco específico e nem uma estratégia deliberada. Estamos cobrindo toda a cidade, levando nossas propostas", disse. E exemplificou: "Não há voto malufista, as pessoas decidem seu voto com base nas propostas." Apesar disso, na primeira parte da caminhada, na avenida Sezefredo Fagundes, as propagandas que predominavam na rua eram de candidatos malufistas.Ao ser cobrado sobre o programa de governo que prometeu entregar antes do dia da eleição (3 de outubro), Serra disse que tem apresentado seu plano de governo todos os dias. "Já existe (o programa) de concreto e em papel. É só procurar (citando as entrevistas especiais e sabatinas que concedeu aos principais jornais de São Paulo). Eu acho curiosa essa fixação, é claro que estamos trabalhando e vamos apresentando." Ele aproveitou para cutucar a adversária do PT, Marta Suplicy: "Não se sabe nada sobre quantas pessoas recebem a renda mínima e que renda recebe", destacando que nem mesmo a Prefeitura tem os números de alguns de seus programas.O candidato tucano voltou a criticar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, dizendo que ele deveria devolver o dinheiro da viagem que fez a São Paulo, quando pediu votos para Marta Suplicy na inauguração de um trecho da avenida Radial Leste. "Não tem cabimento usar esse dinheiro, que vem dos impostos, para fazer campanha. É absolutamente fora da lei", frisou. Para José Serra, o presidente Lula deveria fazer o mesmo que a ex-ministra da Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva (que devolveu aos cofres públicos os recursos gastos em uma viagem para a Argentina), e repor o dinheiro gasto nessa viagem. "Isso porque o dinheiro não foi usado para as funções presidenciais, mas sim para funções partidárias."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.