Tucanos resgatam conselho político para evitar Serra no Instituto Teotônio Vilela

A dois dias de convenção do PSDB, Fernando Henrique Cardoso lidera negociação para demover grupo de ex-governador de indicá-lo à presidência do ITV

Julia Duailibi, de O Estado de S. Paulo

26 de maio de 2011 | 19h50

A dois dias da Convenção Nacional do PSDB, os tucanos focaram os esforços finais no resgate da proposta de criação do Conselho Político para tentar demover o grupo de José Serra de indicá-lo para a presidência do Instituto Teotônio Vilela (ITV). A negociação, que vem sendo tocada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, passa pela criação de um grupo mais enxuto, formado apenas por sete pessoas. No começo do ano, discutiu-se a criação de um conselho político composto por todos os oito governadores do PSDB, além dos representantes do partido no Congresso e os ex-presidentes da legenda. Uma das críticas que Serra havia feito sobre o conselho era que o grupo seria muito grande e, portanto, pouco eficiente.

A ideia em discussão é oferecer uma participação de destaque ao ex-governador. O conselho seria formado ainda por FHC, pelo presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, pelo presidente do ITV (o ex-senador Tasso Jereissati foi indicado pela bancada no Senado), pelo senador Aécio Neves (MG), representante do PSDB no Congresso, pelo governador paulista Geraldo Alckmin, que entraria como ex-candidato a presidente, e pelo governador de Goiás, Marconi Perillo, representando os demais governadores do partido.

Serra havia pleiteado a presidência do ITV, mas há resistência da cúpula do partido e de aliados de Aécio por avaliarem que, no instituto, o ex-governador acabaria criando um poder paralelo à presidência do PSDB. Por trás da discussão sobre os cargos na direção do PSDB, está a disputa pelo controle da máquina partidária que influenciará o caminho da oposição na eleição presidencial de 2014.

Os aliados do ex-governador, no entanto, dizem que, se não houver a indicação para o ITV, não haverá acordo e o grupo não participará da convenção, que será realizada neste sábado, 28, em Brasília.

Ainda sem consenso, as discussões sobre a nova cúpula do PSDB vão se estender até esta sexta-feira, 27. Há a possibilidade de a indicação para o ITV ficar para data posterior à convenção - a presidência do instituto não é eleita pelo Diretório Nacional, mas indicada pelo presidente do partido. O problema dessa proposta, dizem tucanos, é que o encontro ficaria marcado pela incapacidade da legenda de resolver o impasse interno.

Enquanto não há decisão em torno do ITV, os paulistas indicaram nesta quinta dois nomes para a Executiva do partido. O senador Aloysio Nunes Ferreira colocou o nome do ex-governador Alberto Goldman para a primeira-vice-presidência. O grupo de Alckmin indicou o secretário do Planejamento, Emanuel Fernandes, para a segunda-vice. Com as nomeações, o cargo de secretário-geral do partido fica mantido com o deputado Rodrigo de Castro (MG).

Texto alterado às 21h20 para acréscimo de informações

Mais conteúdo sobre:
FHCSerraPSDBconvençãotucanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.