Tucanos mineiros ameaçam ir para a oposição

Deputados estaduais e federais mineiros do PSDB, insatisfeitos com o governo federal, estão cada vez mais propensos a fazer uma revoada do ninho tucano para partidos de oposição ao presidente Fernando Henrique Cardoso. Nos últimos dias, três parlamentares da Câmara - Carlos Mosconi, ex-presidente do partido no Estado, José Militão e Romeu Queiroz - e dois da Assembléia Legislativa de Minas - João Leite, campeão de votos não último pleito, e Elbe Brandão - manifestaram sua decepção com as diretrizes do Palácio do Planalto. "Eu e outros companheiros estamos muito tristes com o que tem ocorrido, como no caso dessa medida provisória do plano de racionamento, e também com a aliança federal do PSDB, principalmente com o PMDB, que não conseguimos entender por que continua", disse o deputado estadual João Leite. "Também não compreendemos como o PSDB está há tanto tempo no poder e não implantou ainda o parlamentarismo, uma das idéias que mais me motivaram no partido", completou.Líderes e representantes de três partidos estão tentando atrair os tucanos mineiros insatisfeitos, com a promessa de participação efetiva de Minas Gerais nas sucessões estadual e federal, no ano que vem: o PPS, o PSB e o PTB. Integrantes do PPS do ex-ministro e pré-candidato à presidência Ciro Gomes têm se desdobrado para construir uma base forte no Estado e os cinco parlamentares tucanos mineiros, dispostos à dissidência, estão na mira. Também o PSB, cujo potencial candidato ao Planalto seria o governador do Rio, Anthony Garotinho, está mantendo conversas constantes com os deputados. O PTB é outra alternativa e tem como bem próxima a filiação de pelo menos um deles, Romeu Queiroz - antigo aliado de um dos caciques do partido, o ex-governador Hélio Garcia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.