Tucanos ironizam Haddad, mas apostam em polarização

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e o deputado federal Duarte Nogueira (PSDB-SP) ironizaram nesta sexta-feira o pré-candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, pelo fato de o ex-ministro ser desconhecido entre os eleitores. "O candidato do PT não tem muita história para contar em São Paulo e precisa permanentemente ser pego pela mão para poder subir", disse Ferreira. "Ele vai ser desconhecido até 15 de agosto, quando começa a campanha na televisão", emendou Nogueira.

GUSTAVO PORTO, Agência Estado

30 de março de 2012 | 12h32

Os parlamentares, no entanto, admitem que o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff ao petista deverão favorecer sua candidatura, o que traria uma possível polarização com Serra. "Não sei até que ponto o candidato do PT vai conseguir decolar, mas a tendência, com o apoio do Lula e da presidente de Dilma é de polarização", admitiu o senador tucano, complementando que "Serra é conhecido por 100% da população de São Paulo".

Nogueira também admite a polarização entre Serra e Haddad, mas aposta ainda na candidatura do deputado federal Gabriel Chalita (PMDB) e na divisão da base do governo, com candidaturas próprias de partidos como PSB, PCdoB e PDT. "Há um questionamento da viabilidade da candidatura do Haddad dentro da própria base, e essa base está dividida", afirmou Nogueira. "Já Serra tem o apoio do PSD, do Democratas, do PR e pode ter do PPS", concluiu o deputado, que é pré-candidato à prefeitura de Ribeirão Preto pelo PSDB.

O senador e o deputado federal participam, hoje, em Barretos (SP), do evento que marca o início da safra de cana-de-açúcar da Guarani e da comemoração do Ano Internacional das Cooperativas.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesSPPSDBpolarização

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.