Tucanos e aliados fazem manifestação de apoio a Yeda

Uma manifestação de apoio à governadora Yeda Crusius (PSDB) reuniu hoje cerca de 500 pessoas diante do Palácio Piratini. Convocado pela juventude e pelas mulheres do PSDB do Rio Grande do Sul, o ato transformou-se, por sugestão dos oradores, no lançamento do movimento Caras Limpas. O ex-presidente do PSDB no Estado, Bercílio Silva, anunciou novas mobilizações semelhantes para as próximas semanas.

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

02 de abril de 2009 | 17h52

A iniciativa dos tucanos tenta responder a manifestações recentes de sindicalistas e estudantes, que saíram às ruas de rostos pintados para pedir o afastamento de Yeda por supostas irregularidades, como as suspeitas do uso de caixa dois na campanha de 2006, denunciadas pelo PSOL, e como a violação de informações sigilosas da segurança por agentes públicos, apontadas pelo ex-ouvidor da Segurança Adão Paiani e sob investigação de uma comissão de sindicância.

"Nós podemos sair às ruas de cabeça erguida, de cara limpa, enquanto eles (os manifestantes contrários) é que têm que pintar", provocou o deputado estadual Nelson Marchezan Júnior (PSDB). Entre os oradores estavam deputados tucanos e secretários de outros partidos, como o petebista Eloi Guimarães, da Administração, e os progressistas João Carlos Machado, da Agricultura, e Mônica Leal, da Cultura.

Tudo o que sabemos sobre:
manifestaçãoYeda CrusiusPSDBRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.