Tucanos dissidentes querem lançar Fruet como 3ª via

A eventual retirada do apoio do PSDB ao candidato Arlindo Chinaglia (PT) passou a ser a principal esperança dos parlamentares de oposição que defendem a chamada terceira via. Cerca de 20 deputados tucanos decidiram criar uma dissidência e, na próxima terça-feira, vão discutir o lançamento da candidatura do deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR). Formada por deputados que defendem a moralização da Câmara, com reestruturação do Conselho de Ética, redução de medidas provisória e o fim de aumentos salariais absurdos para parlamentares, o grupo tem ainda como possíveis candidatos para o posto máximo da Câmara os deputados Fernando Gabeira (PV-RJ) e Luiza Erundina (PSB-SP). Embora estejam em sintonia com a voz rouca das ruas, a terceira via tende mais a marcar posição de protesto do que ameaçar a vitória dos candidatos governistas na disputa da Câmara. Além de não contarem com o apoio integral do PSDB, o movimento moralizador não conseguiu convencer o PFL a integrar suas fileiras. Para o PFL, a saída para enfrentar o candidato petista é apoiar a reeleição de Aldo Rebelo. Um importante pefelista levou aos líderes da terceira via uma proposta de acordo. Eles anunciariam adesão a Aldo em bloco e, em troca, o atual presidente da Câmara assinaria o manifesto proposto pela terceira via. Sem o PSDB, o grupo pode não se lançar na disputa contra Chinaglia, que tem apoio do PT e do PMDB, e ainda contra Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que tem o apoio dos partidos de esquerda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.