Tucanos dissidentes propõem candidatura de Fruet à Câmara

Apenas treze deputados federais do PSDB - de um total de 66 parlamentares da bancada - se reuniram nesta terça-feira e decidiram propor aos parlamentares da chamada terceira via na eleição para presidente da Câmara a candidatura do deputado tucano Gustavo Fruet (PR) para concorrer com o atual presidente, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), candidato à reeleição, e com o líder do governo na Casa, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP). A proposta de lançamento da candidatura de Fruet será apresentada nesta tarde aos deputados da terceira via, em reunião da qual participarão, entre outros, Fernando Gabeira (PV-RJ), Luiza Erundina (PSB-SP), Raul Jungmann (PPS-PE) e Chico Alencar (PSOL-RJ).Segundo participantes da reunião dos 13 tucanos, a proposta aprovada foi a de que a candidatura de Fruet só será lançada se for para valer, e não apenas para marcar posição ou permitir que haja um segundo turno na eleição, para a qual Chinaglia tem sido apresentado como favorito.Eles estabeleceram que uma candidatura com chances reais de vencer tem que partir de um potencial de votos de 15% a 20% dos 513 deputados. Os 13 esperam que, uma vez consolidada a candidatura de Fruet, os deputados do PSDB que já anunciaram apoio a Chinaglia se dêem conta da possibilidade de uma candidatura tucana e voltem atrás. A segunda alternativa dos 13 deputados do PSDB seria a de apoiar a candidatura de Aldo à reeleição.Polêmica"Arlindo Chinaglia não vai ter 30 votos do PSDB se tiver como concorrente um candidato do partido. Certamente, é um movimento para dentro diante de uma questão colocada precipitadamente", disse a jornalistas o deputado Silvio Torres (SP). Após uma consulta por telefone à bancada, o líder do PSDB na Câmara Jutahy Junior declarou apoio a Arlindo Chinaglia, respaldado pela decisão de 34 deputados. A decisão provocou contestação de integrantes do partido contrários a aliança com o PT, entre eles importantes líderes tucanos, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o presidente do partido, Tasso Jereissati, e o líder da bancada no senado Artur Virgílio. Diante da polêmica, Jutahy Junior decidiu convocar para o dia 23 deste mês uma reunião da bancada para rediscutir o assunto. Fruet havia dito à Agência Estado, antes da reunião, que só aceitaria apoiar uma candidatura alternativa à presidência da Câmara se houver chances reais de vencer a eleição. O deputado afirmou que considera fundamental que o PSDB não perca a sua marca de partido de oposição em respeito aos 40 milhões de votos que recebeu nas últimas eleições.Os deputados dissidentes são:- Silvio Torres (SP);- Raquel Teixeira (GO);- José Alcântara (CE);- Paulo Renato (SP);- João Almeida (BA);- Manuel Fernandes (SP);- Bruno Araújo (PE);- Edson Aparecido (SP);- Romulo Gouveia (PB);- Renato Amaral (SP);- Duarte Nogueira (SP);- Gustavo Fruet (PR);- José Aníbal (SP). Com ReutersEste texto foi alterado e ampliado às 16h31.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.