Tucanos disputam espaço no Nordeste

Enquanto Serra teve agenda em Maceió, Aécio passou dia no Recife

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

15 de agosto de 2009 | 00h00

O discurso oficial dos pré-candidatos do PSDB à Presidência da República, os governadores José Serra (São Paulo) Aécio Neves (Minas Gerais), tem sido sempre o de que ainda é cedo para falar e fazer campanha eleitoral. Na prática, entretanto, Aécio e Serra têm promovido incursões individuais pelo País, principalmente a Estados do Nordeste, com o objetivo de fortalecer suas candidaturas dentro e fora do partido para 2010. Ontem foi um dia emblemático nesse sentido. Enquanto o paulista cumpriu agenda administrativa em Maceió e no interior de Alagoas, o mineiro passou o dia no Recife, Pernambuco, em encontros com lideranças do PSDB.A busca por maior popularidade entre os nordestinos pelos dois tucanos não é à toa. O diagnóstico do PSDB é de que o centro da disputa presidencial no ano que vem será o Nordeste. E, para entrar nessa briga com chances reais de vitória, o PSDB sabe que precisa romper com a imagem de partido dos grandes centros urbanos.De acordo com pesquisa CNT/Sensus de março, é na região que Serra tem o pior desempenho: 38,5% das intenções de votos ante 52% na Região Sul. É também no Nordeste um dos piores desempenhos de Aécio: 15,5% contra 29% no Sudeste. Já a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT, tem o melhor desempenho no Nordeste: 26,5%, contra 11,4% no Sudeste. Na eleição de 2006, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva venceu o então candidato tucano, Geraldo Alckmin, em todos os Estados nordestinos. Em 2002, com Serra como candidato, o PSDB derrotou o PT apenas em Alagoas.Ontem, após participar de evento com o governador de Alagoas, Teotônio Vilela (PSDB), Serra disse não estar em viagem pelo Nordeste para ganhar a simpatia das lideranças nordestinas, numa eventual disputa com Aécio. "Não existe disputa interna, nem campanha. Estou em Alagoas, numa missão de governo", afirmou.Aécio admitiu o caráter político de sua visita, custeada pelo partido, mas garantiu que quem quer que seja o escolhido - ele ou Serra - o PSDB estará unido. "Por mais que a política esteja desgastada e por mais que a sociedade se mostre desesperançada, temos de compreender que é a boa política, feita com seriedade e eficiência, que vai transformar o País." Somente em agosto, Serra viajou quatro vezes para fora de São Paulo. Três delas tiveram como destino o Nordeste - Pernambuco, Bahia e Alagoas. Aécio fez ontem sua segunda passagem pelo Recife em dois meses. Na próxima semana o mineiro estará no Ceará, em Sergipe e na Bahia e em seguida visita Estados da Amazônia. A concentração de agendas tucanas em Pernambuco não é por acaso. É a terra natal de Lula. Foi na capital pernambucana que o PSDB organizou, em março, um evento com os dois governadores juntos, no auge da disputa interna, para tentar minimizar o racha no partido. Ceará também é outro Estado considerado crítico pelo PSDB por causa da forte liderança do deputado Ciro Gomes (PSB-CE), inimigo declarado de Serra.SEMINÁRIO Os dois governadores podem aparecer juntos de novo na próxima semana em Aracaju - Sergipe é governado pelo PT. Nos dias 21 ou 22 - ainda a definir - o PSDB realizará um seminário para debater o programa Bolsa-Família. O encontro faz parte de um plano já definido pelo tucanato para tentar reverter o discurso de que são contra a maior vitrine do governo Lula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.