Henrique Luiz/Divulgação
Henrique Luiz/Divulgação

Tucanos concordam com nova convocação de Perillo

Líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias, defende que indiciamento do governador de GO na CPI é 'político'

Ricardo Brito, da Agência Estado

16 de julho de 2012 | 18h58

Caciques do PSDB decidiram, em conversas reservadas, que vão insistir na estratégia pública de defender que a cúpula petista da CPI do Cachoeira está direcionando as investigações para manter o governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, no foco da comissão. Mas, em privado, já admitem que não vão se opor a uma eventual nova convocação e até mesmo ao eventual indiciamento do governador pela CPI.

O relatório da Polícia Federal que aponta Perillo como tendo firmado um "compromisso" com a Delta Construções, com a intermediação do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, dificultou ainda mais uma defesa intransigente do governador. "As provas são robustas", admitiu um cacique tucano à Agência Estado.

Mas, como Perillo não se licenciou do partido logo após o início das acusações de envolvimento com Cachoeira, fica difícil, segundo tucanos, cobrá-lo agora para se licenciar temporariamente do PSDB. Ou seja, não vão largá-lo agora.

"Nada contra a convocação, não seremos obstáculo à convocação. Mas a pergunta é: convocar para quê? Para repetir as mesmas perguntas e ouvir as mesmas respostas?", questionou o líder tucano no Senado, Álvaro Dias (PR), nesta segunda-feira, 16, à tarde.

Para ele, a eficácia do novo depoimento é questionável porque o vice-presidente da CPI, deputado Paulo Teixeira (PT), já sinalizou que há elementos para sugerir o indiciamento de Perillo ao final dos trabalhos. Pelas entrevistas concedidas até então, o relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG), também tem sinalizado que deve indiciar o governador por envolvimento com Cachoeira. O tucano sustenta que o indiciamento é mais "político", uma vez que a PF está mais avançada na investigação e a CPI não tem nada, até o momento, para contribuir no esclarecimento do caso.

Álvaro Dias vai conversar esta segunda à noite com o presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), sobre a situação de Perillo. Mais cedo, por meio da assessoria de imprensa, Guerra disse esperar que o governador de Goiás esclareça esta semana as novas acusações divulgadas pela revista Época deste final de semana.

Tudo o que sabemos sobre:
CPICachoeiraPerilloconvocação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.