Tucano vai à Justiça contra ministra por evento no ABC

Pode custar cerca de R$ 5 mil à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, seu recente apoio à candidatura do ex-ministro da Previdência Luiz Marinho (PT) à Prefeitura de São Bernardo. O advogado Alberto Rollo, da coligação liderada pelo candidato do PSDB, Orlando Morando, protocolou na Justiça Eleitoral representação contra Marinho, o vice Frank Aguiar e Dilma, acusando-os de utilizar um bem de uso comum (o auditório de uma universidade) para evento de campanha.   Ouça a participação de Dilma no horário eleitoral e MartaO advogado da coligação de Marinho, Marcos Medeiros, considerou a ação fruto do "desespero de quem vê uma virada nas intenções de voto". Segundo Medeiros, o evento foi fechado, só para convidados, a coligação pagou o aluguel do auditório e "Dilma não compareceu na condição de ministra, e sim como cidadã".Rollo, por sua vez, entende que, mesmo sendo uma universidade privada, a escola não poderia ter sido palco do ato de campanha que marcou o lançamento do programa de governo de Marinho. Ele lembra acórdão da juíza Eliana Paggiarini Marinho, de 2006, em caso semelhante no TRE de Santa Catarina. "Ainda que entendida como propriedade privada, impõe-se a proibição de veiculação de propaganda eleitoral em fundação educacional, por achar-se incluída no conceito de bem de uso comum", assinalou a magistrada. Rollo completa: "Se fosse uma fundação já não podia, agora campus não pode de jeito nenhum, esse é o primeiro processo eleitoral que a Dilma vai ter de responder. Ela vai ter de pagar pouco, uns R$ 5 mil, mas uma ministra que é apontada como possível candidata à Presidência da República não pode fazer isso."O advogado e a coligação do tucano Orlando Morando também propuseram investigação judicial contra Marinho, Frank Aguiar e o jornalista Celso Horta, responsável pelo jornal ABCD Maior. A acusação é de utilização do jornal em proveito da campanha de Marinho, o que Horta nega.O objetivo, segundo Rollo, é "demonstrar a indevida utilização dos recursos do governo federal no patrocínio de jornal que tem o intuito maior de alavancar as candidaturas do PT na região, especialmente do investigado Marinho, que configura abuso do poder político". A guerra entre petistas e tucanos em São Bernardo aumenta hoje - quando o ministro da Justiça, Tarso Genro, faz campanha ao lado de Marinho, e Morando caminha ao lado do governador José Serra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.