Tucano quer que Coaf apure origem de dinheiro de Okamotto

O líder do PSDB no Senado, Artur Virgílio apresentou hoje requerimento à Mesa pedindo que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf, subordinado ao Ministério da Fazenda, abra um processo sobre ocorrência de crime de lavagem de dinheiro envolvendo o presidente do Sebrae, Paulo Okamotto. Ele é acusado de ter depositado R$ 29,4 mil para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pago em quatro parcelas, entre dezembro de 2003 e março de 2004 no Banco do Brasil. O requerimento do senador foi encaminhado depois das notícias de que o Coaf pediu à Polícia Federal a abertura de inquérito do caseiro Francenildo Costa, para apurar a origem do dinheiro que tinha em caderneta de poupança, logo depois que confirmou na CPI dos Bingos a presença do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, em mansão alugada por um grupo de ex-assessores, onde ocorriam festas e partilha de dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.