Tucano pede para Sarney se submeter a Conselho de Ética

'Não podemos superar essa crise sem a apuração dos fatos', diz Dias, durante última sessão antes do recesso

ROSANA DE CASSIA, Agencia Estado

17 de julho de 2009 | 10h26

O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) fez um apelo para que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), seja julgado pelo Conselho de Ética e quem sabe pelo plenário da Casa, de forma insuspeita. "Não podemos superar essa crise sem a apuração dos fatos", afirmou o tucano. "O que nós desejamos é que sob os escombros dessa tragédia ética que se abateu sobre o Senado se possa reconstituir uma instituição para que ela possa merecer o respeito da população do País."

 

Veja Também:

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

trailer Galeria: vista aérea da casa particular de José Sarney na Península dos Ministros 

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

Em resposta, Sarney, que preside sessão de encerramento do primeiro semestre da Casa, disse que se tivesse que procurar uma testemunha sobre sua vida pública, Alvaro Dias seria uma delas. "O senador me conhece há muitos anos", afirmou Sarney, afirmando em seguida que, quando Dias quis formar um novo partido, o procurou no Maranhão para convidá-lo a integrar a nova legenda, oportunidade, disse o peemedebista, em que elogiou suas qualidades e importância na vida pública. "Não esqueço nunca essa generosidade de vossa excelência, muito obrigado", afirmou Sarney, ironicamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.