Tucano eleito em Belém diz que Dilma 'não discrimina'

O candidato do PSDB, Zenaldo Coutinho, de 50 anos, elegeu-se prefeito da capital paraense e afirmou que espera a colaboração do governo federal e da presidente da República, Dilma Rousseff, para que possa atender a inúmeras carências da cidade nas áreas de saúde, saneamento e segurança, as prioridades de seu governo.

CARLOS MENDES, Agência Estado

28 de outubro de 2012 | 21h57

Para ele, que exerce mandato de deputado federal e tem sido um crítico do governo de Dilma e do PT, a presidente, que apoiou o candidato derrotado, Edmilson Rodrigues (PSOL), "nunca discriminou adversários políticos" que comandam governos estaduais ou prefeituras com repasse de verbas.

O governador do Pará, o também tucano Simão Jatene, principal responsável pela eleição de Coutinho, disse que o fato de Belém e o município vizinho de Ananindeua terem prefeitos eleitos do PSDB vai "facilitar a realização de projetos que, de outra maneira, seria impossível". Ele também fez voto de confiança de que o governo federal, hoje sob o comando do PT, ajude as duas cidades e seu povo.

"Ainda agora, eu tive o apoio do PT, na Assembleia Legislativa, para aprovação de empréstimos de R$ 1,8 bilhão para obras em todo o Estado. Isso prova que o interesse público pode estar acima das paixões partidárias", resumiu Jatene. O atual prefeito da capital, Duciomar Costa (PTB), não participou diretamente da campanha de Coutinho, mas liberou todos os vereadores eleitos pelo partido, além de outros de sua base aliada, para trabalhar pelo tucano. Costa fez isso de olho na única vaga ao Senado, em 2014, que já ocupou antes de ser prefeito em aliança com o PSDB.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012Belémresultado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.