Tucano do PR decepcionado com fim da CPI

O senador do PSDB, Osmar Dias (PR), disse que a não instalação da CPI da Corrupção foi uma "decepção para o Brasil inteiro". Osmar e seu irmão, o também senador Álvaro Dias, tinham assinado o requerimento para constituição da CPI à revelia do PSDB e do Palácio do Planalto. "O governo alega que a CPI paralisaria o País, mas a corrupção está causando problemas na economia", afirmou Dias. O senador considerou que o presidente Fernando Henrique Cardoso foi "infeliz" quando ameaçou tirar cargos de parlamentares infiéis da base aliada. "Quem está contra está fora, não sou quem está tirando: é a pessoa que está saindo ou então não tem caráter", disse o presidente. "Ele não pensou para dizer isso", contemporizou Osmar Dias. "Ele vai refletir e ver que isso desmente sua biografia." Dias afirmou não acreditar que possa haver qualquer retaliação a ele ou a Álvaro, por parte da direção nacional do PSDB ou do governo federal. "Seria retaliação a um Estado." O senador disse que está tranqüilo em relação à ameaça contra indicados para cargos. "Nunca indiquei nem office-boy", afirmou. "Minha atuação parlamentar é feita dentro das regras da seriedade." O senador defendeu o direito constitucional de os parlamentares apresentarem emendas orçamentárias e acompanhar os prefeitos em suas reivindicações por mais recursos. "Eu não acredito que o governo deixe de cumprir a Constituição somente como vingança", acentuou. "Eu não acredito que o governo vai adotar posição de retaliação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.