TSE testará impressão digital para identificar eleitores

Novo sistema vai evitar que uma pessoa vote no lugar de outra; MS,SC e RO serão primeiros Estados a testar

FABIANA MARCHEZI, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2008 | 16h02

Os municípios de Fátima do Sul, no Mato Grosso do Sul, São João Batista, em Santa Catarina, e Colorado D''Oeste, em Rondônia, serão os pioneiros no País a testarem identificação por impressão digital nas eleições municipais deste ano. Segundo a Agência Brasil, os eleitores das três cidades serão recadastrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a partir de segunda-feira, com a inclusão da fotografia e das impressões digitais de cada um. Segundo o diretor-geral do TSE, Athayde Fontoura, o novo sistema vai evitar que uma pessoa vote no lugar de outra. "Hoje já tem uma grande garantia, mas não temos a certeza de que quem está votando é o eleitor registrado na Justiça Eleitoral, porque na hora da votação somente é pedido o título de eleitor, que não traz a foto nem qualquer outra maneira de identificação do eleitor", afirmou.O teste nos três municípios determinará à Justiça Eleitoral o total de equipamentos necessários e o custo para a implantação do sistema. Após a análise dos resultados, será enviada uma proposta de lei para o Congresso para autorizar o recadastramento de todos os eleitores brasileiros. A previsão do TSE é de que o custo fique em torno de R$ 200 milhões e que em dez anos todos os eleitores do País já tenham passado pelo mesmo cadastramento.O secretário de Tecnologia de Informação do TSE, Giuseppe Janino, disse que o sistema é totalmente seguro e evita a subjetividade na análise da identificação do eleitor. Para o secretário, esse tipo de identificação "usa a ciência para identificar se é a pessoa realmente que está comparecendo ali para votar". As informações são da Agência Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.