TSE registrou 154 crimes eleitorais no País até as 11h06

Brasília, 26/10/2014 - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registrou 154 crimes eleitorais até as 11h06 (de Brasília). Desse total, 28 levaram a prisões. Nenhum deles, no entanto, era candidato. A maior parte das irregularidades foi classificada como divulgação de propaganda, com 68 ocorrências. O maior número de prisões ocorreu no Rio de Janeiro, onde oito pessoas foram detidas por divulgação de propaganda, boca de urna e por crimes classificados como "outros" e não especificados no boletim do TSE.

Estadão Conteúdo

26 de outubro de 2014 | 12h09

O Rio, além de ser a unidade da Federação com o maior número de urnas trocadas (221), é também onde ocorreu a maioria dos crimes eleitorais. Até o momento foram 57 ocorrências - o equivalente a 37,01% de todas as ocorrências. São Paulo, o maior colégio eleitoral do País, registrou apenas três, com uma prisão por boca de urna.

No primeiro turno, ocorrido em 5 de outubro, o TSE registrou 3.186 crimes eleitorais, sendo que 1.362 deles levaram à detenção de eleitores. A irregularidade mais comum foi a de boca de urna, que levou a 906 prisões no País e a 572 ocorrências sem detenção. (Victor Martins - victor.alves@estadao.com)

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoTSEcrimes eleitorais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.