Estadão
Estadão

TSE multa Dilma em R$ 5,3 mil por irregularidade em campanha de 2010

A então ministra-chefe da Casa Civil rebateu críticas da oposição sobre obras de transposição do São Francisco por meio do site do Ministério da Integração Nacional

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

20 de março de 2014 | 20h36

Brasília - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quinta-feira, 20, multar a presidente Dilma Rousseff em 5 mil Unidades Fiscais de Referência (UFIR), o equivalente a R$ 5.320,00. A maioria dos ministros do Tribunal concluiu que houve uma irregularidade durante a campanha de 2010 quando o Ministério da Integração Nacional divulgou em seu site nota respondendo a críticas feitas pela oposição, de que as obras de transposição do rio São Francisco estavam atrasadas. A nota do ministério tinha o título "Projeto São Francisco: obras a pleno vapor".

De acordo com o advogado José Eduardo Alckmin, do PSDB, que pediu o pagamento de multa, a nota era "absolutamente inapropriada em um quadro de disputa eleitoral". Além de Dilma, outras pessoas foram multadas nesse mesmo caso, entre os quais o então ministro da Integração Nacional, João Santana.

O PSDB argumentava que a nota do ministério beneficiou Dilma, que era candidata ao Planalto, apoiada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "É inconteste que houve o benefício", disse Alckmin.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    TSEDilmairregularidadecampanha

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.