TSE deve manter regras para alianças estaduais

O presidente do PT, José Dirceu (SP) disse hoje que a tendência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é proibir coligações partidárias diferentes das negociadas na esfera federal. Dirceu e um grupo de líderes de partidos de oposição se reuniram hoje com o presidente do TSE, Nelson Jobim, para discutir a consulta feita pelo deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) a respeito da formação de coligações. A expectativa dos líderes é de que a decisão do TSE deverá confirmar a exigência de coligações nos estados e municípios correspondentes as que forem formadas na esfera federal. "Se isso realmente ocorrer, a oposição recorrerá imediatamente ao Supremo Tribunal Federal (STF)", disse Dirceu. Segundo o presidente do PT, durante a reunião, o ministro Nelson Jobim indicou decisões anteriores em que o Tribunal estabeleceu a verticalização de coligações para eleições de governadores, por exemplo. Nelson Jobim disse ainda aos líderes, segundo relato de Dirceu, que entre hoje e quinta-feira os ministros do Tribunal analisarão a questão, que será discutida em sessão secreta.Ele disse ainda que, enquanto a discussão não se esgotar em todas as instâncias, como na eventualidade de um recurso ao Supremo, as campanhas políticas ficarão paralisadas por pelo menos 45 dias, prazo que ele considera necessário para a conclusão de um eventual recurso da decisão do TSE ao Supremo Tribunal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.