Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

TSE defere registro de Aécio e mantém PEN na coligação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acabou de deferir na noite desta quinta-feira o pedido de registro de candidatura do tucano Aécio Neves, bem como da coligação encabeçada pelo PSDB - a Muda Brasil - e do vice-candidato à presidência Aloysio Nunes. O registro de Aécio era o único que ainda aguardava o deferimento por parte da corte eleitoral dentre os 11 candidatos ao Planalto.

BEATRIZ BULLA, Estadão Conteúdo

21 de agosto de 2014 | 21h13

O atraso de mais de 20 dias no registro foi gerado por um pedido de impugnação apresentado por uma integrante do Partido Ecológico Nacional (PEN) contra a convenção do próprio partido que aprovou a coligação com o PSDB. O ministro relator do caso, João Otávio de Noronha, rejeitou a impugnação por falta de provas e, portanto, manteve o partido na coligação.

De acordo com Noronha, a candidata à Câmara por São Paulo, Denise Abreu, que apresentou a impugnação não compareceu nem produziu provas. "Os documentos nos autos não tem idoneidade para a prova do alegado", disse o ministro, que foi seguido pelos colegas da Corte. A candidata Denise Abreu pretendia concorrer ao Planalto pelo PEN, mas o partido optou por apoiar a candidatura de Aécio Neves. Denise alegou no TSE fraude na convenção do partido que aprovou a coligação. Caso a reclamação fosse considerada válida pelo ministro, o tribunal poderia excluir o PEN do grupo que lançou o tucano como presidenciável. A coligação de Aécio é formada pelo PSDB, PEN, PMN, DEM, PTN, PTB, PTC, PTdoB e Solidariedade.

Denise Abreu, candidata a deputada federal pelo PEN que pretendia invalidar a coligação do partido nanico com o PSDB, foi diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Deixou o cargo após o acidente com o Airbus da TAM, em Congonhas, em 2007 e em meio à crise no setor aéreo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.