TSE confirma cassação do prefeito de Londrina

Ministério Público pediu impugnação da candidatura de Belinati; novo segundo turno pode ser convocado

Redação,

19 de dezembro de 2008 | 03h00

O Tribunal Superior Eleitoral confirmou na madrugada desta sexta-feira a decisão tomada pela própria Corte no dia 28 de outubro, que havia anulado a vitória do prefeito eleito de Londrina, Antonio Belinati (PP). Ao analisarem recursos protocolados contra a inelegibilidade do pepista, os ministros rejeitaram os pedidos por maioria. Belinati ainda pode entrar com novo embargo de declaração contra a decisão. Caberá ao juiz eleitoral do município declarar eleito o vencedor do segundo turno, Luiz Carlos Hauly (PSDB), ou convocar um novo segundo turno na cidade, entre Hauly e Barbosa Neto (PDT), o terceiro colocado. O TRE-PR considerou Belinati inelegível após o Ministério Público Eleitoral ter pedido a impugnação de sua candidatura, sob o argumento de que as contas do candidato, referentes à época em que foi prefeito da cidade (1997-2000), foram reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). No primeiro turno, Belinati obteve 98,4 mil votos (36,38% dos votos válidos) contra 63,8 mil (23,61%) do adversário Hauly. Barbosa Neto, recebeu 62 mil votos (22,92%). Já no segundo turno, Belinati foi eleito com 51,73% dos votos válidos contra 129.625 votos de Hauly (48,27%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.