TSE cassa mandato do deputado federal Juvenil Alves

Contas de ex-petista foram rejeitadas e ele foi acusado de gasto ilícito de recursos em sua campanha em 2006

da Redação,

13 de fevereiro de 2009 | 00h58

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram cassar, por unanimidade, o mandato do deputado federal Juvenil Alves Ferreira Filho (PRTB-MG) nesta quinta-feira, 12. Alves teve seu diploma cassado pelo Tribunal Regional mineiro (TRE-MG) em abril de 2008 por abuso na captação e gasto ilícito de recursos em sua campanha eleitoral nas eleições de 2006.   Veja também:  Entenda o caso do primeiro deputado cassado pelo TSE Entenda a fidelidade partidária    As contas de campanha do deputado mineiro foram desaprovadas pelo TRE-MG em dezembro de 2007. Segundo os juízes, houve abuso na captação e gasto ilícito de recursos para sua campanha eleitoral. Juvenil foi o deputado eleito pelo PT mais votado em Minas Gerais, com 110.651 votos, mas hoje está no PRTB. Além disso, ele foi preso pela Polícia Federal em novembro de 2006, após ser investigado em uma operação conjunta do Ministério Público Federal, Polícia Federal e Receita Federal.   Após a cassação de seu diploma pelo TRE mineiro, o ministro Joaquim Barbosa deferiu liminar em maio de 2008 para manter o deputado federal no cargo até que o TSE julgasse recurso apresentado contra a decisão do Regional mineiro. O julgamento de quinta-feira cassa também essa liminar. A decisão será efetivada logo após a publicação da decisão no Diário de Justiça.   (Com informações do Tribunal Superior Eleitoral)

Tudo o que sabemos sobre:
Juvenil AlvescassaçãoTSE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.