TSE acata queixa sobre divulgar resultado no exterior

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Joelson Dias acatou o pedido da coligação ''Para o Brasil seguir mudando'', da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, de suspender divulgação na internet sobre o resultado das eleições presidenciais brasileiras em segundo turno no exterior. De acordo com o documento divulgado há pouco pelo Tribunal, a coligação salientou que o próprio TSE informou em seu site que os primeiros números de apuração só serão divulgadas a partir das 19 horas.

CÉLIA FROUFE E MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

31 de outubro de 2010 | 17h12

A coligação pediu que o TSE notifique as empresas que divulgarem essas informações e que se adotem "medidas judiciais cabíveis". O ministro Dias destacou que os resultados para o cargo de presidente, de acordo com resolução do TSE, serão liberados apenas a partir das 17 horas do fuso horário do Acre. Isso equivale às 19 horas da maioria dos estados brasileiros.

Os advogados da coligação que apoia a candidatura de Dilma reclamaram do Universo Online (UOL) e pediram ao TSE para que determine à empresa retirar de seu site a informação sobre o resultado da votação na China. De acordo com os advogados, a notícia foi veiculada às 8h45 de hoje. Para a defesa, embora a eleição tenha terminado em vários países, os resultados somente podem ser divulgados após às 19 horas, quando será concluída a votação no Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010TSEresultadoexterior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.