TSE absolve Serra por uso de imagem de Lula na TV

Propaganda do PSDB mostra o tucano ao lado do presidente em fotografias; segundo ministro, uso da imagem é para deixar 'envaidecido'

Carol Pires/BRASÍLIA, Estadão.com.br

31 de agosto de 2010 | 21h03

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou nesta terça-feira, 31, ação da coligação da petista Dilma Rousseff que pedia que o rival José Serra (PSDB) fosse impedido de veicular propaganda na qual o tucano aparece em fotografias ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro Henrique Neves já havia mandado arquivar a ação movida pela coligação alegando que apenas Lula poderia ir à Justiça contra o uso da imagem dele, mas os advogados da campanha de Dilma recorreram da decisão.

 

Programa de TV exibido este mês mostrou cenas de Serra, então governador de São Paulo, ao lado do presidente. O narrador destacou que são dois "líderes experientes" e "homens de história". Os partidos da coligação de Dilma entenderam que o objetivo era confundir o eleitor, criando uma "armadilha propagandista" que liga Lula a Serra.

 

Porém, a maioria dos ministros (5 a 2) não viu irregularidade no uso das imagens do presidente. Seria irregular, na avaliação da Corte, apenas se a campanha tucana passasse a informação errada de que Lula apoia a eleição de Serra. "Se eu fosse presidente da República e meus amigos e inimigos quisessem usar minha imagem, ficaria até envaidecido", disse o ministro Arnaldo Versiani.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.