TSE absolve Roriz de acusação de abuso de poder

Em julgamento que durou três horas e meia, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou nesta quinta-feira à noite pedido de cassação do mandato do governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PMDB), que era acusado pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de suposta prática de abuso de poder econômico e político na campanha eleitoral de 2002.Cinco dos seis ministros votaram pela rejeição do pedido de cassação, e apenas o presidente do TSE, ministro Sepúlveda Pertence, acatou a acusação. Os demais a rejeitaram, sob o argumento de que existiam indícios de abuso de poder, mas elesnão consistiam provas, porque o MPE não fez a perícia nem nos documentos reunidos nem nos veículos fotografados durante acampanha e não interrogou os motoristas desses veículos.No pedido de cassação, o Ministério Público Eleitoral acusava o governador de ter desviado cerca de R$ 40 milhões dos cofres públicos para a sua campanha à reeleição. A acusação falava também em suposto uso de e servidores públicos na campanha. Teoricamente, o MPE poderá recorrer da decisão ao próprio TSE e, posteriormente, ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.