TRT retoma posse do Fórum Trabalhista de SP

O Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP) retomou hoje oficialmente a posse do prédio do Fórum Trabalhista, situado na Barra Funda, que estava sob responsabilidade da União desde 1998, quando estourou o escândalo de superfaturamento e desvio de R$ 169,74 milhões. O presidente do TRT, juiz Francisco Antonio de Oliveira, espera que o imóvel esteja pronto até setembro do próximo ano, quando termina seu mandato. "Trata-se de um objetivo perseguido", afirmou.A estimativa do TRT é de que serão necessários R$ 40 milhões para terminar o imóvel, dos quais R$ 15 milhões serão incluídos no Orçamento 2002 para aprovação no Congresso Nacional. Desde que foi iniciado, em 1993, o empreendimento já consumiu R$ 264,62 milhões do Tesouro Nacional. O juiz Nicolau dos Santos Neto, apontado como um dos beneficiários da fraude, encontra-se em prisão domiciliar em São Paulo.A continuidade das obras está agora sob a responsabilidade do Banco do Brasil, que assinou ontem acordo com o TRT e iniciará na próxima semana uma "radiografia" das condições do prédio. O trabalho deve durar 60 dias, de acordo com o presidente do TRT. A retomada das obras está prevista para janeiro de 2002.Na opinião do juiz, o Fórum "nunca simbolizou a corrupção". "Houve corrupção aqui, mas se não fôssemos terminar uma obra só porque houve corrupção, teríamos um cemitério de obras neste País. Além do mais, quem ganha com o término do Fórum é a população", disse.O Fórum irá abrigar as 79 varas trabalhistas de São Paulo, além de mais 21 novas varas. A capacidade total do prédio é para 112 varas. De acordo com o TRT, 75% das obras já foram concluídas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.