TRT paulista será presidido pela 1.ª vez por uma mulher

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo será presidido, pela primeira vez em sua história, por uma mulher, a juíza Maria Aparecida Pellegrina, eleita nesta quarta-feira para assumir o cargo por dois anos, a partir de setembro. Maria Aparecida foi eleita, em segundo turno, com 32 votos, contra 25 do juiz Carlos Orlando Gomes, um voto em branco e um nulo. Assim que foi eleita, a juíza afirmou que a conclusão do Fórum Trabalhista de São Paulo será prioridade durante a sua gestão. "Eu me empenharei de corpo e alma para que esse prédio fique pronto", disse ela. A juíza disse ainda que vai continuar o esforço iniciado pelo atual presidente do TRT, Francisco Antônio de Oliveira, pela aprovação no Congresso dos projetos que criam novas Varas do Trabalho em São Paulo e novos cargos para o tribunal, "que está defasado em mais de dez anos". Foram eleitos, também, os vice-presidentes administrativo , juiz Antônio José Teixeira de Carvalho, judicial, juiz João Carlos de Araújo, e o corregedor regional, juiz Carlos Francisco Berardo. Maria Aparecida, diplomada pela Faculdade de Música Pio XII, em 1957, é também cantora erudita. Ela já foi juíza corregedora do tribunal, entre 1998 e 2000, e atualmente é presidente da Seção Especializada em Dissídios Coletivos e Individuais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.