Tropas irão ao Rio 'o quanto antes possível', diz Jobim

Forças Armadas devem garantir a segurança durante o período eleitoral; ministro se reúne com TSE e TRE

Tânia Monteiro, de O Estado de S. Paulo,

25 de agosto de 2008 | 12h32

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse nesta segunda-feira, 25, que está sendo estudado com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE)o emprego de tropas militares no Rio de Janeiro, para as eleições municipais. Ele disse que já recebeu o pedido e que já teve uma primeira reunião com o TSE. Jobim lembrou que essa será uma operação diferente das executadas anteriormente. Em eleições anteriores, as Forças Armadas eram convocadas para resguardar o processo eleitoral, no dia da eleição, e agora estão sendo solicitadas antes do pleito.  Veja também:TSE pede a Lula Forças Armadas para garantir eleição no RioCandidatos reagem a 'currais' do tráfico e milícias no RioConheça os candidatos a prefeito no Rio  Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições   Veja as regras para as eleições municipais  Segundo o ministro, não há uma definição de datas para o deslocamento das tropas, mas disse que isso ocorrerá "o quando antes possível". Antes disso, lembrou, o TRE precisa definir os locais para o deslocamento.  "Não cabe às Forças Armadas dizer onde é preciso que o Exército esteja. Quando estiver definido poderá ser acertado o número de militares a ser empregado nesse trabalho", afirmou Jobim.  Ele advertiu, no entanto, que as Forças Armadas não vão "ciceronear" candidatos nas favelas do Rio. "Isso é problema do candidato. É problema dele. "Não damos segurança para candidato", ressaltou, numa referência à dificuldade dos candidatos em entrar nas favelas para fazer campanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.