Tropas do Exército deixam capital mineira

As tropas do Exército que patrulhavam as ruas da capital mineira desde a madrugada do último sábado deixaram a cidade na manhã de hoje. A operação de desmobilização do efetivo de 3.045 homens teve início por volta das 6h30. Um comboio formado por caminhões, tanques e caminhonetes saiu de Belo Horizonte com destino a seis cidades do interior do Estado (Montes Claros, Juiz de Fora, Santos Dumont, São João del Rei, Itajubá e Pouso Alegre), onde estão localizadas suas bases militares de origem. Cerca de 250 homens da Brigada de pára-quedistas do Rio de Janeiro retornaram em aviões Hércules. Outra parte dos soldados lotados no Rio retornou por terra. Durante os cinco dias em que permaneceram em Belo Horizonte, as tropas federais realizaram patrulhamento motorizado, aéreo, e ocuparam as principais vias do centro e zona sul da cidade. Nesse período foram registradas 15 ocorrências, sendo que 35 pessoas foram detidas pelos soldados, autuadas por crimes como furtos, assaltos e agressões. Todas foram encaminhadas para delegacias da Polícia Civil.No trajeto pela BR 040 - que liga Belo Horizonte ao Rio de Janeiro -, parte do contingente ajudou no socorro às vítimas de um acidente entre um carro e um caminhão, que resultou na morte de uma pessoa e ferimentos em outra. Desmobilização das tropasNa noite de ontem, o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB) solicitou, por meio de uma carta enviada ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a desmobilização das tropas. Ele havia pedido a presença dos soldados em função da paralisação dos profissionais de segurança do Estado.A greve foi encerrada oficialmente ontem, com a homologação de um acordo de recomposição salarial firmado entre o governo mineiro e os dirigentes das entidades representativas das polícias Civil, Militar, do Corpo de Bombeiros e agentes penitenciários.O tenente-coronel Sylvio Antônio de Oliveira Cardoso, oficial de comunicação da 4ª Divisão do Exército, avaliou que as Forças Armadas cumpriram a sua missão. De acordo com ele, todas as despesas com a operação foram pagas pelo governo federal e o levantamento dos gastos deverá ficar pronto em aproximadamente 15 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.