Tropas chegam ao Rio com 1,5 mil homens para reforçar eleição

Militares passarão por 27 comunidades da região metropolitana até o dia das eleições, por três dias em cada

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

11 de setembro de 2008 | 15h11

Cerca de 1.500 homens do Exército ocupam desde as 9 horas desta quinta-feira, 11,  três favelas de Jacarepaguá, zona oeste do Rio, no primeiro dia da Operação Guanabara. A ação, desencadeada a partir do pedido da Justiça Eleitoral, tem como objetivo pacificar processo eleitoral em comunidades onde há suspeita de coação eleitoral ou impedimento da livre circulação de candidatos. Os militares passarão por 27 comunidades da região metropolitana do Rio até o dia das eleições. Eles permanecerão três dias em cada uma delas.   Veja Também:   Conheça os candidatos a prefeito no Rio  Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições    Veja as regras para as eleições municipais Na Cidade de Deus, favela dominada por traficantes do Comando Vermelho, os soldados empregaram três veículos blindados do tipo Urutu. Os soldados se espalharam pelos acessos e principais artérias da comunidade, armados de fuzis e metralhadoras. Até esta tarde não foram registrados incidentes. O comandante do Exército, general Enzo Martins Peri visitou hoje a comunidade de Rio das Pedras, outra ocupada pelo Exército. A favela é marcada pela influência de grupos paramilitares. No entanto, os milicianos, a exemplo dos traficantes, não ofereceram resistência.Apesar do objetivo eleitoral, nenhum candidato fez campanha nas duas favelas. O Exército também ocupa a comunidade de Gardênia Azul, na zona oeste. A Marinha mobiliza cerca de 2.000 fuzileiros navais em outra região da cidade, o Complexo da Maré, na zona norte da cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
ExércitoeleiçõesRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.