Troca de comando no Incra causa manifestação em MS

Senador acusa superintendente que será substituído de ?orquestrar? bloqueios em três rodovias

João Naves, O Estadao de S.Paulo

26 Janeiro 2008 | 00h00

Quase 1.500 sem-terra bloquearam na manhã de ontem pontos das Rodovias BR-163, BR-060 e MS-156, em Mato Grosso do Sul. As manifestações aconteceram para mostrar seu descontentamento com a indicação de Flodoaldo Alencar, integrante do Movimento Nacional dos Produtores (MNP), para substituir o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Estado, Luiz Carlos Bonelli, que estava no cargo há cinco anos. Alencar foi indicado para substituí-lo pelo senador Valter Pereira de Oliveira (PMDB-MS).Em nota distribuída ontem, os dirigentes do Movimento dos Sem-Terra (MST) ressaltam que "lamentavelmente voltam as manobras do senador Valter Pereira, que deu seu voto de apoio à CPMF para negociar cargos públicos". E criticam: "Não podemos aceitar esse tipo de procedimento, em que duas ou três pessoas, em troca de favores, decidam mudanças para atender aos caprichos do senador."ACUSAÇÃOPereira acusa Bonelli de "orquestrar" os bloqueios. "Ele, o Bonelli, me disse pessoalmente que resistiria à sua substituição. Ficou quatro horas no meu gabinete em Brasília, conversando sobre a decisão de não deixar a superintendência do Incra em Mato Grosso do Sul. Ele não quer ir para outro local e prometeu reagir", relatou o senador. "Esse tom raivoso deixa transparente a existência de interesses inconfessáveis entre o Bonelli e os líderes dos trabalhadores rurais no Estado."O superintendente do Incra está em férias. Valdir Périus, interino, não quis comentar o caso, dizendo apenas que "a substituição do Bonelli é um problema político que o governo terá que resolver". Alencar sabe que o senador indicou seu nome, mas prefere não se manifestar até que a decisão seja publicada no Diário Oficial da União.Além do MST, participaram dos bloqueios membros das Federações da Agricultura Familiar e dos Trabalhadores na Agricultura de Mato Grosso do Sul e da Central Única dos Trabalhadores (CUT).Pereira lamentou a união dessas organizações "para atos tão feios" e ressaltou não ver motivos para os sem-terra defenderem Bonelli. "O Incra criou favelas rurais durante os últimos cinco anos em Mato Grosso do Sul. Ultimamente está se dedicando à implantação de favelas urbanas, como acontece no Assentamento Itamarati, em Ponta Porã."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.