Tribunal notifica Lula e Dilma sobre ação do DEM e do PSDB

Se quiserem, eles podem apresentar defesa contra acusação de fazer propaganda eleitoral antecipada

Mariângela Gallucci, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2009 | 00h19

O ministro Arnaldo Versiani, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mandou notificar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para que, se quiserem, apresentem defesa em relação a uma representação do DEM e do PSDB, que os acusam de fazer propaganda eleitoral antecipada. Segundo os partidos, Lula fez sucessivas citações a Dilma, que seria sua candidata à sucessão no Palácio do Planalto, em um encontro de prefeitos promovido pelo governo em Brasília neste mês. Os partidos querem que os dois sejam punidos com a obrigação de pagarem multa. O despacho de Versiani foi assinado na última quinta-feira, 19. Mas por causa do feriado de Carnaval, o prazo estipulado pelo ministro de 48 horas para apresentação da defesa a partir da notificação, foi prorrogado. O TSE e o Planalto não informaram na quarta-feira se Lula e ministra já haviam sido notificados. Na representação, os partidos sustentam que Lula e Dilma praticaram atos vedados pela legislação eleitoral durante evento realizado pelo governo nos dias 10 e 11. O governo anunciou que o evento custou R$ 253 mil. Mas nota de empenho do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi), revelada pelo Estado, mostrou que a União desembolsara pelo menos mais R$ 1,35 milhão para pagar as despesas.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaDilmaTSEDEMPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.