TRFs terão varas especializadas em lavagem de dinheiro

Reunido nesta terça-feira no Recife, o Conselho da Justiça Federal (CJF) aprovou resolução que recomenda aos Tribunais Regionais Federais a criação, em 60 dias, de varas especializadas em lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro.Segundo o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Nilson Dipp, que presidiu acomissão que estudou a aplicação da lei que regulamenta a lavagem de dinheiro, este tipo de crime tem ficado impune no País.A legislação prevendo este tipo de infração existe desde 1998, mas até agora somente um crime teve punição. E 83% dos juízes federais nunca receberam um processo desta natureza, apesar de o Brasil ser um dos países onde mais se lava dinheiro.Para Dipp, a Justiça federal não estava aparelhada tecnicamente e não havia gente especializada no assunto, mas ele também destacou a falta de integração entre os órgãos que combatem a lavagem de dinheiro, a exemplo do Banco Central, Ministério Público e Receita Federal.?Os conhecimentos não são compartilhados?, afirmou, acreditando que, com as varas especializadas, o Judiciário estará fazendo sua parte. O CJF é formado por cinco ministros do STJ, os cinco presidentes dos tribunais federais regionais e a associação dos juízes federais. À tarde foi empossada na presidência do TRF-5 a desembargadora Margarida Cantarelli, primeira mulher a ocupar este cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.