TRF mantém reintegração de posse da reitoria da UnB

Estudantes argumentavam que cumprimento da ordem judicial trazia o risco de um confronto com seguranças

da Redação,

11 de abril de 2008 | 21h06

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região confirmou nesta sexta-feira, 11, a decisão da 17ª Vara Federal do Distrito Federal que determinou a reintegração de posse do prédio da reitoria da UnB (Universidade de Brasília), ocupado por estudantes desde o dia 3. O recurso havia sido interposto pelo Diretório Central de Estudantes. A entidade argumentava que o cumprimento da ordem judicial trazia o risco de um confronto entre estudantes e seguranças da universidade. Veja também Entenda as denúncias contra o reitor da UnBPara estudantes, saída de reitor da UnB é manobraEstudantes da UnB rejeitam termo e mantêm ocupaçãoMEC quer parecer da Finatec sobre recursos para UnBJustiça manda estudantes desocuparem Estudantes reivindicam a saída do reitor da UnB, Timothy Mulholland. Ele é acusado pelo MP de ter desviado R$ 470 mil das verbas de pesquisa para comprar móveis de luxo para o apartamento funcional que ocupava. Pressionado, quinta-feira, 10, o reitor pediu afastamento do cargo, por 60 dias. Em seu lugar, assumiu o vice-reitor, Edgar Miamya. O desfecho, no entanto, não agradou estudantes, funcionários e professores. Eles reivindicam o afastamento de toda a cúpula da UnB. Sexta-feira, 11, Miamya, na condição de reitor, presidiu uma reunião do Conselho Universitário - formado por representantes de estudantes, professores e funcionários. Ao longo de mais de três horas, integrantes do conselho tentaram pôr em votação a saída de Miamya. "Foi uma situação surreal", afirmou o professor do departamento de Antropologia, José Jorge de Carvalho. "O vice-reitor foi duramente criticado, mas se recusou a colocar em votação a sua própria saída. Disse que o conselho não tinha atribuição para isso." De acordo com Carvalho, durante a reunião o vice-reitor teria cogitado a possibilidade de apresentar também seu afastamento, mas somente na terça-feira, 8. Uma solução que também não agrada os alunos e professores. "Neste meio tempo, ele poderia tentar indicar alguém de sua confiança. Queremos uma mudança total de direção", afirmou o estudante de história Yuri Soares. Na quarta-feira, uma nova reunião do Conselho deverá ser realizada. Na segunda, 14, estudantes também deverão fazer uma nova assembléia.

Tudo o que sabemos sobre:
UnBTimothy Mulholland

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.