TRF determina abertura dos arquivos do Araguaia

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª região rejeitou recurso da União contra a decisão judicial que determinou a abertura dos arquivos da guerrilha do Araguaia, localização dos corpos, translado e sepultamento. O TRF reconheceu que os familiares dos guerrilheiros desaparecidos tem o direito de saber em que circunstância eles desapareceram e também têm o direito de enterrá-los. O relator do recursos no TRF, desembargador Prudêncio Souza, decidiu convidar os ministros da Defesa e da Justiça, os comandantes das três Forças, o procurador-geral da República , o diretor-geral da Agência Brasileira de Informação (Abin), o presidente do Conselho Federal da OAB, o advogado-geral da União e os advogados das partes para realizar uma audiência até o dia 15, na qual terão que definir uma estratégia para cumprir a decisão que determina a abertura dos arquivos da guerrilha. Se a decisão não for cumprida, pode ser determinada busca e apreensão e até prisão. Em tese, a AGU ainda pode recorrer da decisão. Mas o deputado Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP) não acredita que isso vá ocorrer. Junto com o deputado Sigmaringa Seixas (PT-DF) , Greenhalgh é o advogado das famílias das vítimas na Guerrilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.