TRF critica MPF na apuração de desvios na Sudam

O presidente do Tribunal RegionalFederal, juiz Fernando Tourinho Neto, fez duras críticas à atuação do Ministério Público Federal na apuração do escândalo dedesvio de recursos da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).Ele criticou os pedidos de prisãopreventiva feitos pelo procurador da República, José Pedro Taques, os quais, segundo, ele carecem de fundamentação jurídica."O procurador (José Pedro Taques) não conseguiu demonstrar a necessidade de uma prisão provisória. Ele quis, na verdade,agradar a opinião pública.?Ele participou, em Cuiabá, do encerramento do 5º Encontro Nacional de Procuradores daAdvocacia-Geral da União e reagiu, na base do contra-ataque, às críticas feitas por Taques na semana passada.Explicou quepreventiva é uma medida que só deve ser decretada em situações excepcionais.?Ninguém pode ser preso antes de uma sentença condenatória, a não ser para garantia da ordem pública, ou caso o acusadoou indiciado continue a praticar crimes?, disse o juiz. "Mesmo que haja indícios da autoria, prisão só depois da condenação."José Pedro Taques reagiu às declarações de Tourinho Neto: ?Tourinho veio fazer uma palestra correta em Mato Grosso. Ninguémentende mais de suspensão de liminar do que ele", criticou José Pedro Taques. "Se ele entende que sou um ignorante jurídicoele está correto. Na ciência jurídica dele, eu reconheço a minha ignorância."Na queda-de-braço com Tourinho Neto, o procurador defendeu as investigações que estão sendo feitas no caso Sudam. "O queele diz na imprensa não me preocupa. O que me preocupa muito é o que ele diz em suas decisões. Acho que isso preocupatoda a sociedade", afirmou Taques."Respeito a decisão de Tourinho, apesar de com ela não concordar, mas o faço em razão da sua avançada idade", declarou oprocurador. "Não devo nenhuma obrigação ao presidente do Tribunal Regional Federal. Sou independente e devo obrigação àConstituição Federal e à minha consciência".O habeas-corpus que pôs em liberdade o empresário foi duramente criticado por Pedro Taques. "No Brasil, se permite quepessoas roubem o dinheiro público. Eu recomendo que todo cidadão apresente um projeto à Sudam. Ele vai ficar rico desviandodinheiro e ficará impune", declarou Taques há uma semana ao tomar conhecimento do habeas-corpus que pôs em liberdade oempresário José Osmar Borges.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.