Trevi não precisava de algemas, reclama advogado

O advogado Otávio Neves, que defende a cantora mexicana Gloria Trevi, protestou hoje contra otratamento dispensado pela polícia a sua cliente. Na sexta-feira Gloria, que está grávida de sete meses, foi levada algemada e escoltada por um grupo de policiais para o Hospital Regional daAsa Norte (HRAN), em Brasília, para fazer exames, após passar mal em uma cela do Complexo Penitenciário da Papuda."Foi uma atitude totalmente desumana e semnecessidade", criticou Otávio Neves. Gloria está presa em Brasília há quase dois anos a pedido do governo do México. Junto com seu ex-empresário Sergio Andrade e sua ex-secretária MariaRaquenel, a artista é acusada de estupro e corrupção de menores naquele país.Em dezembro passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) atendeu ao pedido do governo mexicano para que os três sejam extraditados. Mas o processo foi suspenso porque a defesa dos mexicanos pediu ao governo brasileiro que reconheça a condiçãode refugiados deles. Gloria engravidou enquanto estava presa na Superintendência da Polícia Federal em Brasília. De acordo com seus advogados, a gestação é conseqüência de um "estupro carcerário". Mas o preso Marcelo Borelli, acusado de assalto, afirmou à Polícia Federal que cedeu sêmen para a cantora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.