Três são presos em manifestação contra Renan e Feliciano

Cerca de 2 mil pessoas pediram a saída de Renan e Feliciano e também protestaram contra a PEC 37

DAIENE CARDOSO, ALANA RIZZO E LAÍS ALEGRETTI, Agência Estado

22 Junho 2013 | 18h53

Texto atualizado às 20h46

 

BRASÍLIA - Um grupo de cerca de 2 mil manifestantes voltou neste sábado, 22, ao Congresso Nacional para protestar, desta vez contra a permanência de Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado e do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Três pessoas, que portavam coquetéis molotov, uma faca e um estilingue, foram presas. O trio tinha aderido à passeata nas proximidades da Rodoviária de Brasília, no centro da capital. Os manifestantes também definiram como alvos dos protestos os mensaleiros e a PEC 37, que retira poderes de investigação do Ministério Público.

A Polícia Militar do Distrito Federal mobilizou cerca de 700 homens para evitar a repetição de cenas da quinta-feira, 20, quando vândalos invadiram o Palácio do Itamaraty, quebrando vidraças e pichando paredes. No gramado do Congresso, o grupo, desta vez, apenas entoou palavras de ordem. Um pequeno grupo tentou fechar as vias principais da Esplanada dos Ministérios que dá acesso à rodoviária do Plano Piloto e foi reprimida pela PM.

De acordo com o grupo, que integra a chamada Marcha do Vinagre, em referência ao produto que minimiza os efeitos do gás lacrimogêneo usado pela polícia em manifestações, as próximas passeatas serão "temáticas", focando a situação da saúde, educação, fim do foro privilegiado para políticos e o repúdio a PEC 37, proposta em tramitação no Congresso que retira poderes de investigação do Ministério Público.

Mais conteúdo sobre:
protestos Brasília Congresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.