Três pedidos de impeachment contra Arruda são aprovados

Ao todo, foram 11 solicitações; processo agora segue para a Comissão de Constituição e Justiça

Vannildo Mendes, Agência Estado

08 de dezembro de 2009 | 11h48

Dos 11 pedidos de impeachment contra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, e o vice, Paulo Octávio, a Câmara Distrital aprovou três nesta terça-feira, 8: o do presidente regional do PT, Chico Vigilante; do advogado Evilásio Viana Santos e da presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-DF, Estefânia Viveiros. Os pedidos seguem para uma comissão especial que irá analisar o mérito e a validade jurídica dos pedidos.

 

Durante a sessão de leitura dos pedidos, o deputado distrital, Paulo Tadeu (PT), denunciou que aliados do governador estão sendo recrutados para enfrentar os manifestantes que defendem a saída de Arruda e Paulo Octávio na Câmara Distrital. Eles estão lado a lado nas galerias e os seguranças temem um eventual confronto.

 

Mais cedo, os manifestantes deixaram o plenário da Casa para permitir a leitura dos três pedidos de impeachment. O governador José Roberto Arruda e seu vice, Paulo Octávio, são acusados de comandar um esquema de arrecadação de propina e distribuição a aliados, o chamado “mansalão do DEM”.

 

A sessão começou com a apreciação do pedido enviado pela Ordem dos Advogados do Brasil –DF. O clima era bastante tumultuado, com a ocupação das galerias por cerca de 200 manifestantes, que gritavam palavras de ordem como "Arruda na Papuda", numa referência à penitenciária do Distrito Federal e "PO (Paulo Octavio) no Xilindró".

 

Os manifestantes, que estão acampados na Câmara Legislativa desde quarta-feira, 2, decidiram desocupar temporariamente o plenário da Casa para permitir a apreciação dos pedidos. Eles se reuniram durante a madrugada e aceitaram assistir às votações desta terça-feira do auditório.

 

Depois da leitura dos pedidos, os manifestantes voltam a se reunir para definir as próximas ações do movimento.

 

(Com informações da Agência Brasil)

Tudo o que sabemos sobre:
Arrudaescândalopropinaimpeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.