Wilton Junior / Estadão
Wilton Junior / Estadão

Três em cada quatro brasileiros veem Bolsonaro no caminho certo, diz Ibope

Cerca de dois a cada três brasileiros (64%) têm expectativa de que o governo Bolsonaro será ótimo ou bom

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2018 | 11h11

Três em cada quatro brasileiros acreditam que o presidente eleito Jair Bolsonaro está no caminho certo. É o que revela a primeira pesquisa CNI/Ibope após a eleição, divulgada nesta quinta-feira, 13. Dos entrevistados, 75% disseram acreditar que o presidente eleito e sua equipe estão no caminho certo considerando as decisões que tomaram até agora. Outros 14% avaliaram que Bolsonaro está no caminho errado e 11% não souberam ou não quiseram responder.

Quanto maior a renda familiar, maior o percentual dos que acreditam que o presidente eleito está no caminho certo. Entre os que possuem renda familiar de até um salário mínimo, 70% acreditam que Bolsonaro está no caminho certo, percentual que aumenta conforme a renda familiar e chega a 82% entre aqueles cuja renda é superior a cinco salários mínimos. 

A pesquisa Ibope também mostra otimismo em relação ao próximo ano. Cerca de dois a cada três brasileiros (64%) têm expectativa de que o governo Bolsonaro será ótimo ou bom. Outros 14% acham que será ruim ou péssimo, 18% avaliam que será regular e 4% não souberam ou não quiseram responder.

Para os brasileiros, a prioridade do governo deve ser melhorar serviços de saúde e promover a geração de empregos. Saúde e desemprego se destacam entre os principais problemas enfrentados pelo Brasil, de acordo com a pesquisa.  A pesquisa foi realizada pelo Ibope entre os dia 29 de novembro e 2 de dezembro. Foram consultados 2000 eleitores em 127 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos. O nível de confiança é de 95%.

Governo Temer

O presidente Michel Temer encerrará o mandato com rejeição de 85% dos brasileiros, segundo a pesquisa, um dos mais baixos índices de popularidade desde o governo do ex-presidente José Sarney. Apesar do número ainda elevado, houve queda em relação a última pesquisa, em setembro, quando a rejeição era de 92%. Esse também é o menor percentual de rejeição de Temer registrado pela pesquisa desde setembro de 2017.

A aprovação do atual presidente teve um crescimento de 6% para 9%. Outros 5% não souberam ou não quiseram responder. Entre os que avaliam o governo Temer como ótimo ou bom, houve oscilação de 4% a 5% entre setembro e dezembro deste ano, dentro da margem percentual de dois pontos para mais ou para menos. O percentual dos que avaliam o governo como ruim ou péssimo caiu de 82% para 74% de setembro para dezembro. Neste mês, 18% avaliaram o governo como regular, um aumento de 6% percentuais em relação a última pesquisa. 

O índice de confiança de Temer permaneceu estável: 90% afirmaram não confiar no atual presidente. O percentual é o mesmo desde o ano passado. No entanto, aqueles que confiam no presidente cresceram de 5% para 7%, dentro da margem de erro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.