TRE tira Record-RJ do ar por 22 minutos

A TV Record do Rio de Janeiro ficou fora do ar por 22 minutos, ontem à noite, por determinação da Justiça Eleitoral. O juiz Luiz Márcio Victor Alves Pereira (TRE-RJ) atendeu a uma representação do PT, entendendo que o programa ´Repórter Record´, exibido pela emissora sobre o projeto Fazenda Nova Canaã, favorecia o candidato do PL a prefeito do Rio, Marcelo Crivella. A Record é ligada à Igreja Universal do Reino de Deus, da qual o pastor Crivella, sobrinho de Edir Macedo, é um dos principais líderes. O juiz inicialmente determinou à Record que não veiculasse o programa justamente porque iria, indiretamente, fazer propaganda eleitoral para Crivella. "O oficial de Justiça chegou na Record às 19h30 e ficou mais de duas horas na sede sem ser recebido por ninguém. Então, determinei que fosse para o Sumaré, onde ficam as torres de transmissão, para que a decisão fosse cumprida lá porque, caso contrário, o programa iria todo ao ar e a decisão judicial seria inócua" - explicou o juiz.O juiz acrescentou que mandou suspender o programa porque era propaganda subliminar do candidato Crivella, pois ele faz toda a sua campanha eleitoral citando a Fazenda Nova Canaã. O programa de ontem da Record enaltecia o projeto, sem apresentar qualquer denúncia ou crítica. Disse ainda que encaminhará ao Ministério Público o relato do oficial de Justiça sobre o que aconteceu e que os procuradores vão preparar a ação para que outro juiz arbitre a multa.Ontem, a TV Record passou o dia inteiro exibindo chamadas para o programa. Mesmo com a decisão da Justiça, o programa ainda foi exibido por 36 minutos até ser tirado do ar. A emissora só pôde voltar a exibir programação depois que a exaltação ao Nova Canaã deixou de ser exibida em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.