TRE-SP adia julgamento de dois vereadores cassados

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) suspendeu, no final da tarde de hoje, o julgamento de recursos interpostos pela defesa dos vereadores Carlos Apolinário (DEM) e Gilson Barreto (PSDB), 2 dos 24 parlamentares cassados pelo juiz Aloísio Sérgio Rezende Silveira, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo. O juiz Jefferson Moreira de Carvalho, do TRE-SP, pediu vista dos pedidos para examinar melhor a questão e definir uma posição.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

16 de março de 2010 | 19h06

A expectativa da Corte é de que o caso seja retomado no final de abril. Por enquanto, o placar do julgamento é favorável à permanência dos dois vereadores no cargo: 3 votos pela retirada da cassação. Além do voto de Carvalho, são aguardadas as posições de mais três juízes da Corte.

Os vereadores são acusados de recebimento de doações ilegais nas eleições de 2008. Eles se mantêm no cargo graças a efeito suspensivo concedido pelo juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, quatro dias após terem sido decretadas as cassações.

Ao todo, 24 dos 55 vereadores da Câmara paulistana foram cassados - e posteriormente conseguiram efeito suspensivo na Justiça. O motivo foi o recebimento de doações consideradas ilegais, como as provenientes da Associação Imobiliária Brasileira (AIB), que ganhou notoriedade na última eleição por figurar entre os maiores financiadoras de campanha - foram R$ 2,94 milhões a 26 candidatos vitoriosos da capital.

Uma investigação do Ministério Público Estadual apontou que a AIB seria um braço do Secovi (sindicato das imobiliárias e administradoras). A Lei Eleitoral proíbe doações de sindicatos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.