TRE-RS cassa presidente da Assembleia Legislativa

Desembargadores, por quatro votos a três, entendem que Luis Augusto Lara usou máquina pública na eleição de 2018; decisão cabe recurso

Luciano Nagel, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2019 | 20h31

PORTO ALEGRE - Por quatro votos e a três, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul cassou, na segunda-feira, 21, o mandato do presidente da Assembleia Legislativa, Luis Augusto Lara (PTB), por abuso de poder econômico na eleição de 2018, em que ele se reelegeu para o sexto mandato consecutivo de deputado estadual. É a primeira vez que a corte eleitoral cassa mandato de um presidente da Assembleia gaúcha. 

A primeira suplente do PTB, Secretária de Trabalho de Assistência Social, Regina Becker, deve assumir a vaga. 

Lara virou réu em fevereiro, acusado de favorecimento no uso da máquina pública do município de Bagé, então administrada por seu irmão, Divaldo Vieira Lara (PTB).

Segundo o Ministério Publico, servidores da prefeitura foram coagidos a doar valores em dinheiro e atuar na campanha do deputado. Divaldo Lara também teve seu mandato cassado. Os irmãos foram condenados a pagar multa de R$ 60 mil, cada. Ambos ficarão inelegíveis até 2026. A decisão cabe recurso.

O advogado do deputado, Antônio Augusto Mayer dos Santos disse que irá aguardar a publicação do acordão e, posteriormente, embargar a sentença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.